Medicamentos Excepcionais (Uso contínuo e alto custo)

Informações da Secretaria de Saúde | Governo de SP

Q1ZzRlNIBJqLUKFVKnayeg_pills

Os medicamentos de dispensação excepcional são, geralmente, de uso contínuo e de alto custo. São usados no tratamento de doenças crônicas e raras, e dispensados em farmácias específicas para este fim. Por representarem custo elevado, sua dispensação obedece a regras e critérios específicos.

O Programa de Medicamentos Excepcionais foi criado em 1993 e posteriormente, através de novas Portarias, o Ministério da Saúde ampliou de forma significativa o número de medicamentos excepcionais distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Para a dispensação dos Medicamentos Excepcionais são utilizados alguns critérios, como diagnóstico, esquemas terapêuticos, monitorização/acompanhamento e demais parâmetros, contidos nos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas, estabelecidos pela Secretaria de Assistência à Saúde (SAS), do Ministério da Saúde. Os protocolos também relacionam os medicamentos que são fornecidos pelo programa.

As regras referentes aos medicamentos excepcionais são definidas pelo Ministério da Saúde, sendo que o principal documento exigido para o Programa é o Laudo para Solicitação/Autorização de Medicamentos de Dispensação Excepcional (LME). Desta forma, para a dispensação destes medicamentos é necessário:

  • Que o medicamento faça parte do Programa de Medicamentos Excepcionais;
  • Que seja respeitado o Protocolo Clínico definido pelo Ministério da Saúde;
  • O Laudo para Solicitação/Autorização de Medicamentos de Dispensação Excepcional (LME) devidamente preenchido pelo médico solicitante;
  • A receita médica, com identificação do paciente em duas vias, legível e com nome do princípio ativo e dosagem prescrita;
  • O Cartão Nacional de Saúde;
  • Relatório médico;
  • Termo de consentimento;
  • Exames médicos.

Trinta Unidades de Saúde estaduais, na cidade de São Paulo, são responsáveis pela dispensação dos medicamentos excepcionais, sendo que maiores informações podem ser obtidas junto às áreas de assistência farmacêutica dos Departamentos Regionais de Saúde (DRS), conforme relação de telefones abaixo:

No município de São Paulo:

  • Farmácia de Alto Custo Maria Zélia – fone: (11) 3583-1900
  • Farmácia de Alto Custo Várzea do Carmo – fone: (11) 3385-7004
  • Centro de Saúde Estadual da Vila Mariana – fone: (11) 5084-5169 (somente para pacientes do Hospital São Paulo)
  • Hospital das Clínicas – fone: (11) 3069-6617 (somente para pacientes do Hospital)
  • Hospital do Servidor Público Estadual – fone (11) 5088-8642 (somente para pacientes do Hospital).

Departamentos Regionais de Saúde | DRS

  • DRS I (Grande São Paulo) – fone: (11) 3017-2000
  • DRS II (Araçatuba) – fone: (18) 3623-7010
  • DRS III (Araraquara) – fone: (16) 3322-4655
  • DRS IV (Baixada Santista) – f: (13) 3227-5969 r.12
  • DRS V (Barretos) – fone: (17) 3322-9100
  • DRS VI (Bauru) – fone: (14) 3235-0174
  • DRS VII (Campinas) – fone: (19) 3739-7050
  • DRS VIII (Franca) – fone: (16) 3713-4399
  • DRS IX (Marília) – fone: (14) 3402-8831
  • DRS X (Piracicaba) – fone (19) 3437-7430
  • DRS XI (Pres. Prudente) – f: (18) 3226-6784 r.230
  • DRS XII (Registro) – fone: (13) 3828-2940
  • DRS XIII (Ribeirão Preto) – fone: (16) 3602-2614 (Hosp. das Clínicas de Rib. Preto)
  • DRS XIV (São J. da Boa Vista) – f: (19) 3634-2841
  • DRS XV (São José do Rio Preto) – fone: (17) 3232-0388 Ramal 243 ou (17) 3201-5179 (Hosp. de Base)
  • DRS XVI (Sorocaba) f: (15) 3332-9177 (Conj. Hosp.)

Atenção: Necessita de mais informações! Converse com o seu médico.

Fonte: http://www.saude.sp.gov.br/content/geral_acoes_politica_estadual_medicamentos_lista_medicamentos_excepcionais.mmp

Esta entrada foi publicada em ABRATA, Medicamento alto custo com as tags , , , . ligação permanente.

18 Respostas a Medicamentos Excepcionais (Uso contínuo e alto custo)

  1. Carmélia Door diz:

    Gostaria de saber se vocês da farmácia de alto custo enfrentam algum problema em relação a distribuição desses medicamentos? Há falta de medicamentos? E se há como isso é falado aos pacientes o que vocês os orientam a fazer em caso de falta? Obrigada!!

    • Equipe Abrata diz:

      prezada Carmélia

      Não somos da farmácia de alto custo. Somos a ABRATA que desenvolve atividades de apoio a pessoa com Transtorno Bipolar e depressão. Buscamos através da associação também atuar na melhoria da política pública votada para a saúde mental, dentre ela a medicação de alto custo. Mas, não sabemos lhe informar acerca das questões que enviou.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  2. Vera Lucia Rodrigues diz:

    Há dias estou tentando falar com o telefone da farmácia de alto custo e não consigo, o telefone não atende (3583.1900) para onde eu devo ligar para saber se meu medicamento foi autorizado?

    • Equipe Abrata diz:

      Olá Vera Lucia

      Lamentamos, mas não sabemos informar. Porém sugerimos vc ir, pessoalmente, a farmácia de alto custo, para se informar sobre o seu processo.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  3. Dayse Marins diz:

    bom dia,
    Eu pegava remédios para fibrose cística no posto de pinheiros, agora mandaram para Vila Mariana. Ontem fui até lá e não tinha enzima CREON 10000, pediram me para ficar ligando, mas não me deram previsão o que devo fazer quando acabar minha medicação.

    • Equipe Abrata diz:

      Prezada Dayse

      Não sabemos informar acerca desse assunto referente a medicação citada.
      Converse com o seu médico sobre o que fazer, caso não receba a medicação. Ele é a primeira pessoa que vc deve contatar sobre o seu tratamento e medicação.

      Abraços
      Equipe ABRATA

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>